Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/11402
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creator.IDSILVA, J. L. S.
dc.contributor.advisor1MARCELINO, Cecília Paranhos Santos.
dc.contributor.advisor1IDMARCELINO, C. P. S.
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6990329984620391pt_BR
dc.contributor.referee1CAVALCANTI, Sabrinna Correia Medeiros.
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9533836893235191pt_BR
dc.contributor.referee2QUIRINO FILHO, João de Deus.
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2600726404115260pt_BR
dc.description.resumoA partir da promulgação da Constituição Federal de 1988, a qual estabeleceu a igualdade entre homens e mulheres, o poder familiar passou a ser conferido de forma igualitária a ambos os genitores, gerando profundas mudanças no Direito de Família e refletindo diretamente nas relações de pais e filhos, notadamente nas ações de guarda da prole. Com a promulgação da Lei nº 11.698/2008, a modalidade de guarda compartilhada passou a ser a regra no ordenamento jurídico brasileiro, devendo esta ser preferencialmente adotada quando a dissolução do vínculo conjugal envolver filhos menores. Ocorre que tal modalidade, apesar de ser a que mais preza pela proteção dos direitos dos menores, ainda é pouco adotada no judiciário brasileiro, o que cria um ambiente propício para a ocorrência de casos de alienação parental, situação esta que ocorre principalmente quando um dos genitores se utiliza de seu tempo livre com o filho menor para colocá-lo contra o outro genitor. A alienação parental é uma prática antiga, que só ganhou atenção especial no Brasil com a Lei nº 12.318/2010, que instituiu mecanismos para combatê-la. Nesse sentido, o presente trabalho parte da seguinte problemática: qual a importância da fixação do modelo de guarda compartilhada para evitar que casos de alienação parental ocorram quando da dissolução de vínculos conjugais? O presente estudo, portanto, tem como objetivo tratar da temática da guarda compartilhada como meio eficaz no combate à alienação parental, evidenciando os benefícios que esse modelo de guarda gera para o crescimento saudável do menor diante da separação de seus genitores. Para tanto, como aspectos metodológicos, foram utilizados o método dedutivo como abordagem, os métodos histórico e interpretativo enquanto procedimento e a revisão bibliográfica e documental como técnicas de pesquisa.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentCentro de Ciências Jurídicas e Sociais - CCJSpt_BR
dc.publisher.initialsUFCGpt_BR
dc.subject.cnpqDireito Civilpt_BR
dc.titleConsiderações sobre a guarda compartilhada e a sua utilização como mecanismo para inibir a alienação parental.pt_BR
dc.date.issued2019-06-10
dc.description.abstractFrom the promulgation of the Federal Constitution of 1988, which established equality between men and women, family power was conferred equally on both parents, generating profound changes in Family Law and directly reflecting on the relationships of parents and children, especially in child custody actions . With the enactment of Law 11,698 / 2008, the shared custody modality became the rule in the Brazilian legal system, and this should preferably be adopted when the dissolution of the conjugal bond involves minor children. It occurs that this type, although it is the one that most prizes for the protection of the rights of minors, is still little adopted in the Brazilian judiciary, which creates an environment conducive to the occurrence of cases of parental alienation, a situation that occurs mainly when one of the parents uses his or her spare time with the youngest child to put it against the other parent. Parental alienation is an old practice, which only gained special attention in Brazil with Law 12,318 / 2010, which instituted mechanisms to combat it. In this sense, the present work is based on the following problematic: what is the importance of fixing the shared custody model to avoid cases of parental alienation occurring when the conjugal bonds are dissolved? The present study, therefore, aims to deal with the shared custody issue as an effective means of combating parental alienation, highlighting the benefits that this model of guarding generates for the healthy growth of the child in the face of the separation of their parents. Therefore, as methodological aspects,they used the deductive method and approach, historical and interpretative method as a procedure and bibliographical and documentary review as research techniques.pt_BR
dc.identifier.urihttp://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/11402
dc.date.accessioned2020-01-31T12:11:28Z
dc.date.available2020-01-31
dc.date.available2020-01-31T12:11:28Z
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
dc.subjectDireito de Famíliapt_BR
dc.subjectAlienação Parental
dc.subjectGuarda Compartilhada
dc.subjectFamily Law
dc.subjectParental Alienation
dc.subjectShared Guard
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.creatorSILVA, José Lucas Santos.
dc.publisherUniversidade Federal de Campina Grandept_BR
dc.languageporpt_BR
dc.relation.referencesAKEL, Ana Carolina Silveira. Guarda Compartilhada: um avanço para a família. 2ª ed. São Paulo: Atlas S.A, 2010. AZAMBUJA, Maria Regina Fay et al. Guarda compartilhada: a justiça pode ajudar os filhos a ter pai e mãe? 2013. Disponível em: https://www.mprs.mp.br/infancia/doutrina/id625.htm. Acesso em: 15 mar. 2019. BARRETO, Luciano Silva. Evolução histórica e legislativa da família. Série Aperfeiçoamento de Magistrados 13 – 10 Anos do Código Civil - Aplicação, Acertos, Desacertos e Novos Rumos Volume I. 2012. Disponível em: http://www.emerj.tjrj.jus.br/serieaperfeicoamentodemagistrados/paginas/series/13/vol umeI/10anosdocodigocivil_205.pdf. Acesso em: 10 mar. 2019 BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 23 jan. 2019. BRASIL. Lei n. 3.071, de 1º de janeiro de 1916. Código Civil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l3071.htm. Acesso em: 18 de jan. 2019. BRASIL. Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm#art266. Acesso em: 16 jan. 2019. BRASIL. Código Civil, Lei 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Brasília, DF: Senado Federal, 2002. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil. Acesso em 18 jan. de 2019. BRASIL. Lei n. 11.698 de 13 de junho de 2008. Dispõe sobre a guarda compartilhada e altera os arts. 1.583 e 1.584 da Lei no 10.406. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11698.htm. Acesso em: 16 fev. 2019. BRASIL. Lei n. 12.318 de 26 de agosto de 2010. Dispõe sobre a alienação parental e altera o art. 236 da Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12318.htm. Acesso em: 10 mar. 2019. BUOSI, Caroline de Cássia Francisco. Alienação parental: uma interface do direito e da psicologia. Curitiba: Jaruá, 2012. CASABONA, Marcial Barreto. Guarda compartilhada. São Paulo: Quartier Latin, 2016. COELHO, Fábio Ulhôa. Curso de Direito Civil – família e sucessões. 5 ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2012. DIAS, Maria Berenice. Incesto e Alienação Parental de Acordo com a Lei 12.318/2010. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013. DIAS, Maria Berenice. Manual de Direito das Famílias. 10 ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2015. DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro: Direito de Família, 26. ed., vol. 5. São Paulo: Saraiva, 2011. ELIAS, Roberto João. Pátrio Poder: guarda dos filhos e direito de visitas. São Paulo: Saraiva, 1999. FONTES, Simone Roberta. Lei nº 11.698/08: a guarda compartilhada. In: Jus Brasil. 2009. Disponível em: http://lfg.jusbrasil.com.br/noticias/108727/lei-n-11698- 08-a-guarda-compartilhada-simone-roberta-fontes. Acesso em: 17 mar. 2019. FREITAS, Douglas Phillips. Alienação parental: comentários à lei 12.318/2010. 3ª ed. Rio de Janeiro: Forense, 2014. GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLONA FILHO, Rodolfo. Novo Curso de Direito Civil. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2014. GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro. Direito de Família. 9 ed., vol. 6. São Paulo: Saraiva, 2012. GRISARD FILHO, Waldyr. Guarda Compartilhada: Um novo modelo de responsabilidade parental. 7 ed., rev., atual. e ampl. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2014. IBGE. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/000000113558121 02012584717441044.pdf. Acesso em: 23 abr. 2019. LEITE, Eduardo de Oliveira. Famílias Monoparentais. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008. LÔBO, Paulo. Direito Civil: Famílias. São Paulo: Saraiva, 2008. LÔBO, Paulo. Guarda e convivência dos filhos após a Lei nº 11.698/2008. 2011. Disponível em: http://www.saiddias.com.br/imagens/artigos/15.pdf. Acesso em: 17 mar. 2019. MADALENO, Rolf. Curso de direito de família. Rio de Janeiro: Forense, 2013. MANSUR, Gisele Müller. Evolução histórica da guarda compartilhada. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XIX, n. 146, mar 2016. Disponível em: http://www.ambito- juridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=16956. Acesso em: 15 mar. 2019. MOURA, Elizana Rodrigues de. Guarda Compartilhada: Uma visão interdisciplinar dos aspectos positivos e negativos. In: Jus Brasil. 2012. Disponível em: https://elizanarodrigues.jusbrasil.com.br/artigos/111669185/guarda-compartilhada- uma-visao-interdisciplinar-dos-aspectos-positivos-e-negativos. Acesso em: 15 mar. 2019. NADER, Paulo. Curso de Direito Civil – Volume 5. Direito de Família. 7. ed. rev., atual. e ampl. Rio de Janeiro: Forense, 2016. PEREZ, E. L. Breves comentários acerca da lei da alienação parental (Lei 12.318/2010). In: DIAS, Maria Berenice (Org.) Incesto e Alienação Parental de Acordo com a Lei 12.318/2010. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013. SANDRI. Jussara Schmitt. Alienação parental: o uso dos filhos como instrumento de vingança entre os pais. 22. ed. Curitiba: Juruá, 2013. SIMIONATO, M.A.W.; OLIVEIRA, R.G.O. Funções e transformações da família ao longo da história. In: Encontro Paranaense de Psicopedagogia, 1, 2003. I Encontro Paranaense de Psicopedagogia, Anais... CD ROM, ABPppr., nov., 2003. TRINDADE, Jorge. Síndrome da Alienação Parental (SAP). In: DIAS, Maria Berenice (Org.) Incesto e Alienação Parental de Acordo com a Lei 12.318/2010. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013 VENOSA, Silvio de Salvo. Direito Civil. 13 ed., vol. 6. São Paulo: Atlas, 2013. ULLMANN, Alexandra. A alienação parental não está adstrita apenas ao âmbito familiar. 2015. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2015-jun-05/alexandra- ullmann-alienacao-parental-alem-ambito-familiar. Acesso em: 23 abr. 2019. WALD, Arnold. O novo direito de família. 15. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2004.pt_BR
dc.title.alternativeConsiderations about shared custody and its use as a mechanism to inhibit parental alienationpt_BR
dc.identifier.citationSILVA, José Lucas Santos. Considerações sobre a guarda compartilhada e a sua utilização como mecanismo para inibir a alienação parental. 2019. - Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais - Direito). Centro de Ciências Jurídicas e Sociais, Universidade Federal de Campina Grande. - Sousa/PB - Brasil 2019.pt_BR
Appears in Collections:Curso de Bacharelado em Direito

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JOSÉ LUCAS SANTOS SILVA - TCC DIREITO 2019.pdf341.33 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.