Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/11603
Title: Caracterização epidemiológica de mulheres vítimas de violência na Paraíba entre os anos de 2009 e 2017.
Other Titles: Epidemiological characterization of women victims of violence in Paraíba between 2009 and 2017.
???metadata.dc.creator???: MENDES, Saullo de Alcântara.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: FIGUEIREDO, Francisco José Gonçalves.
???metadata.dc.contributor.advisor-co1???: NASCIMENTO, Paulo Franssinetti Delfino do.
???metadata.dc.contributor.referee1???: PINTO, Natália Bitu.
???metadata.dc.contributor.referee2???: CARIRI, Emmanuele Lira.
Keywords: Violência contra a mulher;Perfil epidemiológico-Paraíba;DATASUS;Violence against women;Epidemiological profile-Paraíba
Issue Date: 27-Nov-2019
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: MENDES, Saullo de Alcântara. Caracterização epidemiológica de mulheres vítimas de violência na Paraíba entre os anos de 2009 e 2017. 2019. 50f. Trabalho de Conclusão de Curso ( Bacharelado em Medicina) - Centro de Formação de Professores, Universidade Federal de Campina Grande, Cajazeiras, Paraíba, Brasil, 2019.
???metadata.dc.description.resumo???: A violência contra as mulheres não é algo recente na história humanidade. O termo surgiu por volta de 1970, por intermédio do movimento feminista que alegava que a ação violenta se justificava pôr a vítima pertencer ao sexo feminino e que por isso eram subordinadas pelos homens; sendo definido nos dias atuais como a ação cometida contra uma mulher que compromete sua integridade física, psicológica e sexual. Embora existam políticas públicas com o objetivo de combater os casos de violência contra o sexo feminino, faz-se necessário o acompanhamento minucioso da situação de cada região, para que seja possível adequar os mecanismos e leis vigentes, promovendo um atendimento de qualidade as vítimas, bem como a repreensão cabível aos acusados. Nesse contexto, o presente estudo objetivou realizar a caracterização epidemiológica de mulheres vítimas de violência no estado da Paraíba entre os anos de 2009 a 2017. O mesmo é de caráter ecológico, retrospectivo, de natureza descritiva, com abordagem quantitativa. Os dados foram coletados na plataforma online do SINAN/DATASUS e analisados através de estatísticas descritivas. Os resultados revelaram que o maior número de casos ocorreu na macrorregião do sertão, possivelmente relacionado com a menores condições socioeconômicas e que perfil das mulheres consiste em vítimas com idade entre 20 e 39 anos, da cor/raça parda, em grande maioria com ensino fundamental incompleto. Dentre os tipos de violência, a mais recorrente foi a violência física, seguida pela sexual e psicológica. Assim é possível concluir que não basta possuir políticas de repreensão a violência contra as mulheres, mas faz-se necessário compreender as características de cada vítima para que só assim elabore-se medidas que visem promover o diagnóstico, acompanhamento, conscientização, capacitação e a independência dessas vítimas.
Abstract: A violência contra as mulheres não é algo recente na história humanidade. O termo surgiu por volta de 1970, por intermédio do movimento feminista que alegava que a ação violenta se justificava pôr a vítima pertencer ao sexo feminino e que por isso eram subordinadas pelos homens; sendo definido nos dias atuais como a ação cometida contra uma mulher que compromete sua integridade física, psicológica e sexual. Embora existam políticas públicas com o objetivo de combater os casos de violência contra o sexo feminino, faz-se necessário o acompanhamento minucioso da situação de cada região, para que seja possível adequar os mecanismos e leis vigentes, promovendo um atendimento de qualidade as vítimas, bem como a repreensão cabível aos acusados. Nesse contexto, o presente estudo objetivou realizar a caracterização epidemiológica de mulheres vítimas de violência no estado da Paraíba entre os anos de 2009 a 2017. O mesmo é de caráter ecológico, retrospectivo, de natureza descritiva, com abordagem quantitativa. Os dados foram coletados na plataforma online do SINAN/DATASUS e analisados através de estatísticas descritivas. Os resultados revelaram que o maior número de casos ocorreu na macrorregião do sertão, possivelmente relacionado com a menores condições socioeconômicas e que perfil das mulheres consiste em vítimas com idade entre 20 e 39 anos, da cor/raça parda, em grande maioria com ensino fundamental incompleto. Dentre os tipos de violência, a mais recorrente foi a violência física, seguida pela sexual e psicológica. Assim é possível concluir que não basta possuir políticas de repreensão a violência contra as mulheres, mas faz-se necessário compreender as características de cada vítima para que só assim elabore-se medidas que visem promover o diagnóstico, acompanhamento, conscientização, capacitação e a independência dessas vítimas.
Keywords: Violência contra a mulher
Perfil epidemiológico-Paraíba
DATASUS
Violence against women
Epidemiological profile-Paraíba
???metadata.dc.subject.cnpq???: Medicina.
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/11603
Appears in Collections:Curso de Bacharelado em Medicina

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SAULLO DE ALCÂNTARA MENDES. TCC. BACHARELADO EM MEDICINA. 2019.pdfSaullo de Alcântara Mendes. TCC. Bacharelado em Medicina. 2019.2.54 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.