Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/11853
Title: A construção de um povo e de um lugar: estratégias da criação da identidade sertaneja paraibana na obra Através do Sertão de Celso Mariz e sua diferença do projeto do IHGP.
Other Titles: The construction of a people and a place: strategies for the creation of Paraíba's hinterland identity in the work Via Celso Mariz's Sertão and its difference from the IHGP project.
???metadata.dc.creator???: AQUINO, Viviane de Fátima.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: SANTOS, João Marcos Leitão.
???metadata.dc.contributor.referee1???: SOUSA JÚNIOR , José Pereira de.
???metadata.dc.contributor.referee2???: MONTEIRO, Luira Freyre.
Keywords: IHGP;Mariz;Identidade;Sertão;História da Paraíba;Identity;Backwoods;History of Paraíba
Issue Date: 24-Sep-2019
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: AQUINO, V. de F. A construção de um povo e de um lugar: estratégias da criação da identidade sertaneja paraibana na obra Através do Sertão de Celso Mariz e sua diferença do projeto do IHGP. 2019. 90 f. Dissertação (Mestrado em História) Pós-Graduação em História, Centro de Humanidades, Universidade Federal de Campina Grande, Paraíba, Brasil, 2019.
???metadata.dc.description.resumo???: Os estudos sobre criação identitária na Paraíba que focalizam a retórica dos historiadores do IHGP partem da proposição de que a paraibanidade é fruto da conquista colonial, e tomam como pressuposto o espaço litorâneo, quando do processo de conquista do território da capitania real. A fundação da cidade de Filipéia deNSª. das Neves e os acontecimentos nela havidos teria sido, assim, o epicentro da própria capitania, atuando como palco e como agente da simbologia identitária do paraibano. Tal enfoque, necessário dizer, onubla as variadas frentes de colonização em ocorrência pelo interior da capitania na simbologia da criação identitária local, reforçando a cisão litoral/sertão tão presentes no pensamento social brasileiro do século XX, ancorados na dicotomia simplória do pretensamente moderno/arcaico. Não obstante, é inegável ter sido a interiorização da capitania e da colonização do sertão temas demasiados importantes na constituição da narrativa daqueles historiadores, o que nos leva a indagar se a identidade paraibana teve sua criação fomentada na historiografia a partir, também, da região considerada sertão. Portanto, sem pretensão de reeditar discussões havidas, nossa investigação se pauta nos escritos de Celso Marques Mariz, intelectual paraibano e sertanejo, que se dedicou à escrita da História da Paraíba, enquanto membro do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, buscando compreender as estratégias condutoras da formação da sociedade do interior paraibano. Analisamos como suas retóricas escamoteiam a tentativa de acrescer um lugar para si, o encaixe do “sertanejo” no mosaico identitário paraibano. Separamos os discursos utilizados por este autor, que nos levaram a afirmar a ideia de que Mariz promove uma identidade para o sertanejo baseada em aspectos diferentes daqueles postos pelo IHGP no processo inicial da busca da identidade paraibana. Concluímos que Celso Mariz faz do sertanejo, um paraibano diferente, que se destaca na “raça”, na força provinda da alimentação diferenciada, na forma de religiosidade, na política e demais peculiaridades.
Abstract: The studies on identity creation in Paraíba that focus on the rhetoric of IHGP historians depart from the proposition that paraibanity is the fruit of colonial conquest, and take as presupposition the coastal space, when the process of conquest of the territory of the royal captaincy. The foundation of the city of Filipéia deNSª. of the Neves and the events that had taken place therein would have been, thus, the epicenter of the captaincy itself, acting as a stage and as an agent of the identity symbology of the Paraibano. Such an approach, it is necessary to say, embodies the various fronts of colonization occurring within the captaincy in the symbology of local identity creation, reinforcing the coastal / sertão scission so present in twentieth-century Brazilian social thought, anchored in the simplistic dichotomy of the allegedly modern / archaic . Nevertheless, it is undeniable that the internationalization of the captaincy and the colonization of the sertão were too important themes in the constitution of the narrative of those historians, which leads us to inquire whether the identity of the Paraiba had its creation fostered in historiography from the regions considered sertões. Therefore, without any pretensions to re-issue discussions, our research is based on the writings of Celso Marques Mariz, a Paraíba and Sertanejo intellectual, who dedicated himself to the writing of the History of Paraíba, as a member of the Paraibano Historical and Geographical Institute, seeking to understand the leading personalities of formation of the society of the interior of Paraíba. We analyze how their rhetoric eschews the attempt to add a place for themselves, the fit of the "sertanejo" in the mosaic of the identity of Paraiba. We separate the discourses used by this author, which led us to affirm the idea that Mariz promotes an identity for the sertanejo based on aspects different from those posed by the IHGP in the initial process of the search for the identity of Paraíba. We conclude that Celso Mariz makes the sertanejo, a different Paraibano, who stands out in the "race", in the strength from differentiated food, in the form of religiosity, politics and other peculiarities.
Keywords: IHGP
Mariz
Identidade
Sertão
História da Paraíba
Identity
Backwoods
History of Paraíba
???metadata.dc.subject.cnpq???: História
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/11853
Appears in Collections:Mestrado em História.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VIVIANE DE FÁTIMA AQUINO - DISSERTAÇÃO (PPGH) 2019.pdf1.41 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.