Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/1324
Title: Entre a subalternidade e o socialismo indoamericano: existe um pensamento marxista decolonial?
???metadata.dc.creator???: AGUIAR, Jórissa Danilla Nascimento.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: SALES JÚNIOR, Ronaldo Laurentino de.
???metadata.dc.contributor.referee1???: BATISTA , Mércia.
???metadata.dc.contributor.referee2???: SALES , Ronaldo.
???metadata.dc.contributor.referee3???: ALIAGA , Luciana.
???metadata.dc.contributor.referee4???: VENÂNCIO, Romero.
Keywords: Subalternidade;Indoamericanismo;Decolonialidade;América Latina;Marxismo;Subalternity;Indo-americanism;Decoloniality;Latin America;Marxism
Issue Date: 28-Aug-2017
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: AGUIAR, J. D. N. Entre a subalternidade e o socialismo indoamericano: existe um pensamento marxista decolonial? 2017. 197 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais), Centro de Humanidades, Universidade Federal de Campina Grande, Paraíba, Brasil, 2017.
???metadata.dc.description.resumo???: A colonização e o pensamento europeu trouxeram aos povos originários não só a marca da dependência financeira e o capitalismo. Foram cruciais, sobretudo, à expansão de uma influência intelectual eurocentrista, um colonialismo cultural que, junto com a propriedade privada, marcaram nossas formações econômico-sociais. Contudo, como a história dos homens precisa ser observada em sua construção dialética, as duas últimas décadas do século XXI e suas mudanças políticas trouxeram à baila novas questões teóricas para se pensar a América Latina contemporânea, onde governos e movimentos sociais formavam uma alternativa política às estruturas de poder vivenciadas desde a terceira onda democrática em meados da década de 1980, buscando recuperar uma aproximação entre sociedade e Estado. Na esteira dessa reflexão, esta tese tem como principal objetivo analisar criticamente, desde uma perspectiva marxista, o movimento decolonial na América Latina. Trata-se de um projeto teórico-político de intelectuais latino-americanos que surge contemporaneamente com o argumento de resistência ao ocidental-centrismo e consequente renovação crítica das Ciências Sociais no subcontinente. Para tanto, buscamos investigar como duas teorias que são chaves para pensar a constituição do nosso objeto, o movimento decolonial, se expandem na academia, são elas a teoria pós-colonial e o estudo dos sujeitos subalternos, assim como a forma com que essas teorias são recebidas no subcontinente, ganhando força a partir da década de 1990, sendo marcante o lançamento da obra Colonialidad y modernidad-racionalidad, de 1992, do peruano Aníbal Quijano (1928). Tendo como eixo teórico-metodológico a recuperação de parte do conjunto da obra político historiográfica de Antonio Gramsci (1891-1937) e J. C. Mariátegui (1894-1930), tendo em vista que esses autores realizam interpretações sobre a questão nacional e desenvolvimento desigual a partir das contribuições da metodologia dialética marxista que fomentam suas formulações teóricas, nossa hipótese indica que conceitos e teorias recuperados pela corrente de autores decoloniais e já postulados anteriormente pelos autores aqui destacados – a subalternidade e socialismo indoamericano – não necessariamente se vinculam de maneira rigorosa àquilo que Gramsci e Mariátegui haviam pensado para tais conceitos, apresentando fundamentalmente conclusões políticas distintas. Recuperamos, para testar a hipótese, os pressupostos teóricos dos autores decoloniais sobre o tema e assim lançamos como hipótese secundária a possibilidade da teoria marxista tratar de temas que atingem a América Latina, não sendo necessário o rompimento com o marxismo revolucionário para se concretizar avanços na teoria social e política latino-americana. Foi possível verificar que os autores decoloniais não são unanimes quanto a essa rotura, assim, podemos comparar essa divisão à questão do essencialismo latino-americano, uma das faces que caracterizou o debate marxista no subcontinente na década de 1930, principalmente por tratar da fragmentação política que propõe uma classificação social baseada na questão das raças como a luta e não como parte da luta de classes. Por fim, concluímos que Gramsci e Mariátegui, marxistas com visões não hegemônicas do marxismo, aproximaram a concepção tradicional da política marxista dos subalternos, estimulando uma profunda associação entre saber intelectual e vontade popular, indicando elementos que contemporaneamente são apresentados pela esquerda decolonial.
Abstract: Colonization and European thought brought to the original people not only the mark of financial dependence and capitalism. They were crucial, above all, to the expansion of a Eurocentric intellectual influence, a cultural colonialism that, together with private property, marked our economic and social formation. However, as the history of men needs to be observed in their dialectical construction, the last two decades of the twenty-first century and its political changes have brought to the fore new theoretical questions to think about contemporary Latin America, where governments and social movements formed a political alternative to Structures of power experienced since the third democratic wave in the mid-1980s, seeking to recover an approximation between society and state. In the wake of this reflection, this thesis aims to critically analyze, from a marxist perspective, the decolonial movement in Latin America. It is a theoretical-political project of Latin American intellectuals that arises simultaneously with the argument of resistance to the western-centrism and consequent critical renovation of the Social Sciences in the subcontinent. Therefore, we sought to investigate how two theories that are key to think the constitution of our objectthe decolonial movement, expand in the academy, are postcolonial theory and the study of the subaltern subject, as well as the way in which these theories Are received in the subcontinent, gaining strength from the 1990s onwards, with the launch of Coloniality and modernity-rationality (1992) by Peruvian Aníbal Quijano (1928). Having as a theoretical-methodological axis the recovery of part of the set of the historiographical political work of Antonio Gramsci (1891-1937) and J. C. Mariátegui (1894-1930), considering that these authors make interpretations on the national question and uneven development from the contributions of the Marxist dialectical methodology that foment their theoretical formulations, our hypothesis indicates that concepts and theories recovered by the current of decoloniais authors and already postulated previously by the authors here highlighted - Indo-American subalternity and socialism - do not necessarily strictly bind themselves to what Gramsci and Mariátegui had intended for such concepts, presenting fundamentally different political conclusions. We Recovered, to test the hypothesis, the theoretical assumptions of decolonial authors on the subject and thus launched as secondary hypothesis the possibility of Marxist theory address issues that affect Latin America, the break with revolutionary Marxism is not necessary to achieve advances in Social and political theory in Latin America. It was possible to verify that the decolonial authors are not unanimous about this rupture, so we can compare this division to the question of Latin American essentialism, one of the faces that characterized the Marxist debate in the subcontinent in the 1930s, mainly because it deals with political fragmentation which proposes a social classification based on the question of races like the fight and not as part of the class struggle. Finally, we conclude that Gramsci and Mariátegui, Marxists with non-hegemonic visions of Marxism, approached the traditional conception of Marxist politics of subalterns, stimulating a deep association between intellectual knowledge and popular will, indicating elements that are contemporaneously presented by the decolonial left.
Keywords: Subalternidade
Indoamericanismo
Decolonialidade
América Latina
Marxismo
Subalternity
Indo-americanism
Decoloniality
Latin America
Marxism
???metadata.dc.subject.cnpq???: Ciências Sociais
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/1324
Appears in Collections:Doutorado em Ciências Sociais.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JÓRISSA DANILLA NASCIMENTO AGUIAR - TESE (PPGCS) 2017.pdf1.51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.