Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/13256
Title: Conhecimento de enfermeiros acerca da segurança de sua atividade laboral.
Other Titles: Nurses' knowledge about the safety of their work activity.
???metadata.dc.creator???: SOUZA, Kássyo Kennedy Alexandre Vituriano de.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: FREIRE, Roberta Miranda Henriques.
???metadata.dc.contributor.advisor-co1???: LIRA, Francisco Róbson Alencar de.
???metadata.dc.contributor.referee1???: VIDELES, Arieli Rodrigues Nóbrega.
Keywords: Enfermeiro - atividade labora;Biossegurança do enfermeiro;Equipamento de proteção individual;Nurse - labora activity;Nurse biosafety;Individual protection equipment
Issue Date: 2010
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: SOUZA, Kássyo Kennedy Alexandre Vituriano de. Conhecimento do profissional de enfermagem acerca da segurança de sua atividade laboral. 2010. 49f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem) - Centro de Formação de Professores, Universidade Federal de Campina Grande, Cajazeiras, Paraíba, Brasil, 2010.
???metadata.dc.description.resumo???: A qualidade de vida deve estar presente no trabalho do enfermeiro, a presença de risco ocupacional no desempenho das atividades laborais deste profissional apresenta uma visibilidade multifatorial e pode afetar esta qualidade. O presente estudo objetivou averiguar o conhecimento dos enfermeiros acerca da segurança de sua atividade Iaboral no âmbito de um hospital no sertão paraibano. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, de natureza quantitativa; a população foi composta por 78 enfermeiros e a amostra por 15 destes profissionais, que foram selecionados mediante uma amostragem por acessibilidade; o instrumento utilizado para coleta de dados foi o questionário. Entre os enfermeiros participantes do estudo 100% consideram-se expostos a riscos laborais no exercício da profissão, de modo que 80% referem exposição a materiais perfuro cortantes, 47% materiais potencialmente contaminados, 40% a doenças infectocontagiosas, 20% a contaminação, 20% a infecções, 20% ao estresse, 13% a acidentes não especificados, 7% a riscos físicos, biológicos e químicos. Quando questionados sobre o conhecimento de programas institucionais de prevenção de acidentes 93% dos participantes referem não conhecer, e apenas 7% já ouviram falar da existência destes. No tocante o entendimento dos enfermeiros sobre EPI, 67% dos sujeitos descreveram a significado da sigla, e 33% retrataram como objetos de segurança e proteção para o profissional. Entre os entrevistados, 100% citam luvas, máscaras comuns e roupas adequadas como tipos de EPFs. Oculos protetores e gorro são citados por 80% e pro pé por 73%, sendo citada, ainda mascara N95 por uma parcela menor equivalente a 33 % dos entrevistados. Mencionando utilizar luvas e mascaras com 100% ambas, gorro com 63%, roupas adequadas com 53%, e pro pé com 13%. Referem ser oferecidos pela instituição: luvas (100% das afirmativas), mascaras (100%), gorro (93%),roupas adequadas a cada serviço (93%), pro pé (87%), óculos protetores (67%), mascara N95 (47%), calcado fechado (20%). Os enfermeiros do âmbito hospitalar conhecem os riscos de forma genérica, mas detém um conhecimento sobre EPI que condiz com a literatura cientifica utilizada no estudo, o que, por sua vez poderia ser um condicionante para que os mesmos fizessem uma utilização completa, correta e rotineira destes equipamentos, entretanto, isto não mostrou-se como uma realidade. Conquistar a adesão destes profissionais ao uso integral dos EPFs e um desafio. Portanto, fazem-se necessários maiores investimentos na biossegurança dos profissionais de saúde da rede hospitalar, principalmente em uma educação permanente que busque uma redefinição das responsabilidades com o autocuidado dos mesmos.
Abstract: A qualidade de vida deve estar presente no trabalho do enfermeiro, a presença de risco ocupacional no desempenho das atividades laborais deste profissional apresenta uma visibilidade multifatorial e pode afetar esta qualidade. O presente estudo objetivou averiguar o conhecimento dos enfermeiros acerca da segurança de sua atividade Iaboral no âmbito de um hospital no sertão paraibano. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, de natureza quantitativa; a população foi composta por 78 enfermeiros e a amostra por 15 destes profissionais, que foram selecionados mediante uma amostragem por acessibilidade; o instrumento utilizado para coleta de dados foi o questionário. Entre os enfermeiros participantes do estudo 100% consideram-se expostos a riscos laborais no exercício da profissão, de modo que 80% referem exposição a materiais perfuro cortantes, 47% materiais potencialmente contaminados, 40% a doenças infectocontagiosas, 20% a contaminação, 20% a infecções, 20% ao estresse, 13% a acidentes não especificados, 7% a riscos físicos, biológicos e químicos. Quando questionados sobre o conhecimento de programas institucionais de prevenção de acidentes 93% dos participantes referem não conhecer, e apenas 7% já ouviram falar da existência destes. Regarding the nurses' understanding of PPE, 67% of the subjects described the meaning of the acronym, and 33% portrayed it as objects of safety and protection for the professional. Among respondents, 100% cite gloves, regular masks and suitable clothing as types of EPFs. Protective glasses and hats are cited by 80% and pro foot by 73%, being mentioned, it still masks N95 by a smaller portion equivalent to 33% of the interviewees. Mentioning using gloves and masks with 100% both, cap with 63%, suitable clothes with 53%, and foot with 13%. They refer to being offered by the institution: gloves (100% of statements), masks (100%), cap (93%), clothes suitable for each service (93%), for feet (87%), protective glasses (67%), mask N95 (47%), closed footwear (20%). Hospital nurses are generally aware of the risks, but have knowledge about PPE that is consistent with the scientific literature used in the study, which in turn could be a condition for them to make a complete, correct and routine use. of this equipment, however, this did not prove to be a reality. Getting these professionals to join the full use of EPFs is a challenge. Therefore, greater investments are needed in the biosafety of health professionals in the hospital network, mainly in permanent education that seeks a redefinition of responsibilities with their self-care.
Keywords: Enfermeiro - atividade labora
Biossegurança do enfermeiro
Equipamento de proteção individual
Nurse - labora activity
Nurse biosafety
Individual protection equipment
???metadata.dc.subject.cnpq???: Enfermagem.
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/13256
Appears in Collections:Curso de Bacharelado em Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
KÁSSYO KENNY ALEXANDRE VITURIANO DE SOUZA. TCC. BACHARELADO EM ENFERMAGEM. 2010.pdfKássyo Kennedy Alexandre Vituriano de Souza. TCC. Bacharelado em Enfermagem.2010.7.54 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.