Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/13552
Title: Compreendendo a sexualidade de mulheres portadoras de hanseníase.
Other Titles: Understanding the sexuality of women with leprosy.
???metadata.dc.creator???: ALVES, Vanessa Jamaica da Silva.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: VIDERES, Arieli Rodrigues Nóbrega.
???metadata.dc.contributor.referee1???: MEIRA, Mary Luce Melquiades.
???metadata.dc.contributor.referee2???: ANDRADE, Ankilma do Nascimento.
Keywords: Hanseníase - mulheres;Sexualidade - mulheres portadores de hanseníase;Leprosy - women;Sexuality - women with leprosy
Issue Date: 2011
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: ALVES, Vanessa Jamaica da Silva. Compreendendo a sexualidade de mulheres portadoras de hanseníase. 2011. 60f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem) - Centro de Formação de Professores, Universidade Federal de Campina Grande, Cajazeiras, Paraíba, Brasil, 2011.
???metadata.dc.description.resumo???: A hanseníase e uma doença infecto-contagiosa que acomete pele, mucosas e nervos periféricos e provoca incapacidades físicas, trazendo consigo alterações emocionais extremamente intensas, devido ao estigma que ainda permanece sobre o doente e a doença. Diante da importância da sexualidade para todo individuo, portador ou não de uma doença capaz de causar deformidades, e da escassez de estudos que envolvam a sexualidade da mulher portadora de hanseníase, e que se faz necessária esta pesquisa. O presente estudo buscou conhecer a sexualidade de mulheres atingidas pela hanseníase a partir da sua descrição sobre os aspectos da vida social, sexual e afetiva. Seus objetivos específicos foram verificar as modificações percebidas pelas portadoras de hanseníase em sua sexualidade, após o diagnóstico, considerando suas relações de amizade, relações amorosas e com membros familiares e caracterizar como essas modificações afetaram a sexualidade dessas usuárias, especialmente investigando aspectos como a resposta sexual, imagem corporal, relacionamento com o(a) parceiro(a) e vida amorosa. Trata-se de um estudo exploratório e descritivo, com abordagem qualitativa, desenvolvido a nível domiciliar de oito mulheres portadoras de hanseníase cadastradas nas unidades de saúde residentes nos bairros Padre Cicero, Por do Sol e Casas Populares, localizados no município de Cajazeiras, Alto-Sertão Paraibano. Como instrumento para a coleta de dados foi realizada uma entrevista guiada por meio de um roteiro estruturado, contendo dados de caracterização da amostra (doze questões), bem como de questões mais especificas que integram o tema da pesquisa (nove perguntas). As narrativas das participantes foram coletadas nos meses de maio e junho do decorrente ano e analisadas de acordo com a técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin (2009). Vale ressaltar que a pesquisa foi submetida ao Comitês de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) sendo aprovado com parecer n° 0181.0.133.000-11. Foi possível constatar através deste estudo que, para as mulheres, e difícil falar da hanseníase, do que e sexualidade e em como e sua vida afetiva e sexual Para algumas, seu cotidiano mudou bastante após o diagnóstico da doença. No entanto, pode-se constatar que, devido a quantidade de informações divulgadas atualmente sobre a hanseníase, as pessoas estão cada vez mais bem informadas de como realmente ocorre sua transmissão, fazendo com que o medo em contrair a doença não gere mais antigos preconceitos. Algumas pessoas ainda tem receio em falar como veem a doença e como passara a se relacionar com amigos e familiares. Foi possível concluir que tais relacionamentos não mudaram para as participantes desta pesquisa. Por fim, percebe-se a importância dos profissionais de saúde buscarem estar constantemente atualizados e preparados para lidar com todos os problemas advindos da hanseníase, tratando os pacientes de forma completa, atentando para todas as dívidas que estes possam ter, incluindo as incertezas sobre como será sua vida afetiva e sexual, mostrando que falar em sexualidade e algo que não deve gerar constrangimentos e deve ser debatido dentro e fora das unidades básicas de saúde.
Abstract: Leprosy is an infectious and contagious disease that affects skin, mucous membranes and peripheral nerves and causes physical disabilities, bringing with it extremely intense emotional changes, due to the stigma that still remains on the patient and the disease. In view of the importance of sexuality for every individual, whether or not they have a disease capable of causing deformities, and the scarcity of studies involving the sexuality of women with leprosy, which makes this research necessary. The present study sought to know the sexuality of women affected by leprosy from its description of the aspects of social, sexual and affective life. Its specific objectives were to verify the changes perceived by leprosy patients in their sexuality, after the diagnosis, considering their friendly relationships, loving relationships and with family members and to characterize how these changes affected the sexuality of these users, especially investigating aspects such as sexual response , body image, relationship with the partner and love life. This is an exploratory and descriptive study, with a qualitative approach, developed at home of eight women with leprosy registered in health units residing in the neighborhoods Padre Cicero, Por do Sol and Casas Populares, located in the municipality of Cajazeiras, Alto- Sertão Paraibano. As a tool for data collection, a guided interview was conducted through a structured script, containing data for characterization of the sample (twelve questions), as well as more specific questions that integrate the research theme (nine questions). The participants' narratives were collected in May and June of the following year and analyzed according to the content analysis technique proposed by Bardin (2009). It is worth mentioning that the research was submitted to the Research Ethics Committees of the State University of Paraíba (UEPB) and was approved with opinion number 0181.0.133.000-11. It was possible to verify through this study that, for women, it is difficult to talk about leprosy, what is sexuality and how and their affective and sexual life for some, their daily lives changed a lot after the diagnosis of the disease. However, it can be seen that, due to the amount of information currently disseminated about leprosy, people are increasingly well informed of how its transmission actually occurs, making fear of contracting the disease no longer generating old prejudices. Some people are still afraid to talk about how they see the disease and how they started to relate to friends and family. It was possible to conclude that such relationships have not changed for the participants in this research. Finally, it is perceived the importance of health professionals to seek to be constantly updated and prepared to deal with all the problems arising from leprosy, treating patients in a complete way, paying attention to all the debts they may have, including uncertainties about how it will be your affective and sexual life, showing that talking about sexuality is something that should not cause embarrassment and should be discussed inside and outside the basic health units.
Keywords: Hanseníase - mulheres
Sexualidade - mulheres portadores de hanseníase
Leprosy - women
Sexuality - women with leprosy
???metadata.dc.subject.cnpq???: Enfermagem.
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/13552
Appears in Collections:Curso de Bacharelado em Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VANESSA JAMAICA DA SILVA ALVES. TCC. BACHARELADO EM ENFERMAGEM. 2011.pdfVanessa Jamaica da Silva Alves. TCC. Bacharelado em Enfermagem. 2011.3.67 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.