Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/14545
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creator.IDMIGUEL, H. C.pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0365803710747180pt_BR
dc.contributor.advisor1QUIRINO FILHO, João de Deus.-
dc.contributor.advisor1IDQUIRINO FILHO, J. D.pt_BR
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2600726404115260pt_BR
dc.contributor.referee1AZEVEDO, Carla Pedrosa de Figueiredo.-
dc.contributor.referee1IDAZEVEDO, C. P. F.pt_BR
dc.contributor.referee2OLIVEIRA, Leonardo Figueiredo de.-
dc.contributor.referee2IDOLIVEIRA, L. F.pt_BR
dc.description.resumoDesde a década de 90, o judiciário brasileiro tem-se utilizado das modernas tecnologias a fim de proporcionar a sociedade uma prestação jurisdicional mais eficiente, célere e acessível, uma vez que a eletrônica e a computação, tem o condão de automatizar serviços e a internet proporciona meios de comunicação e troca de informação de forma rápida. Das legislações criadas, tem-se a Medida Provisória nº 2.200-2/2001, que fundou o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) e a Infraestrutura de Chaves Públicas brasileira (ICP-Brasil), para promover a difusão da internet com segurança e confiabilidade. A Lei Federal nº 10.259/2001, que criou os Juizados Especiais Cíveis e Federais, autorizando serviços de intimações e peticionamento, dentre outros, pelo meio eletrônico e em formato digital. A Emenda Constitucional nº 45/2004, que tornou princípio fundamental a razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação, bem como, a Lei nº 11.419/2006 (Lei do Processo Eletrônico), que autoriza e regulamenta a criação e estruturação do processamento de ações em formato digital. E neste sentido, a modernização judicial foi cuidadosa, a fim de preservar e respeitar os princípios constitucionais e infraconstitucionais já consagrados. Neste sentido, diversos foram os sistemas desenvolvidos pelos tribunais para tornar o processo digital, em especial o Projudi – Processo Judicial Digital, o E-Proc – Processo Eletrônico do TRF4, o Creta - Processo Eletrônico do TRF5, detre tantos outros, que colaboraram com o desenvolvimento do PJe – Processo Judicial Eletrônico, como sistema padrão para processamento de ações judiciais em formato digital, a ser implantado em toda estrutura do judiciário brasileiro.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentCentro de Ciências Jurídicas e Sociais - CCJSpt_BR
dc.publisher.initialsUFCGpt_BR
dc.subject.cnpqDireitopt_BR
dc.subject.cnpqCiências Jurídicaspt_BR
dc.titleAnálise sobre o processo eletrônico como meio eficaz para a obtenção de uma justiça célere e acessível.pt_BR
dc.date.issued2017-
dc.description.abstractSince the 1990s, the Brazilian judiciary has been using modern technologies to provide the society a more efficient, quick and accessible legal service, since electronics and computing, has the magic wand to automate services and the internet provides means of communication and exchange of information quickly. Of the legislations created, It has been the Provisional Measure No. 2,200-2 / 2001, which founded National Institute of Information Technology (ITI) and the Brazilian Public Key Infrastructure (ICP-Brazil), to promote the diffusion of the internet with security and reliability. The Federal Law No. 10,259/2001, that created the Special Civil and Federal Courts, authorizing services of subpoenas and petition, among others, by electronic means and in digital format. The Constitutional Amendmen No. 45/2004, which made it fundamental principle, the reasonable length of the proceedings and the means to guarantee the celerity of its proceedings, as well as, the Law No. 11,419/2006 (Eletronic Process Law), that authorize and regulates the creation and structure of the digital format process. In this sense, the court was careful modernization, in order to preserve and respect the constitutional and infraconstitutional principles already enshrined, in this sense, many were the systems developed by the courts to make the digital process, especially the Projudi - Digital judicial process, the E-Proc - Electronic process, of TRF4, the Creta - Electronic process, of TRF5, among others, which collaborate witje the developed of PJEEletronic Judicial Process, as standart system for processing of lawsuits in digital format, to be implemented in the whole structure of the Brazilian judiciary.pt_BR
dc.identifier.urihttp://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/14545-
dc.date.accessioned2020-08-26T16:47:04Z-
dc.date.available2020-08-26-
dc.date.available2020-08-26T16:47:04Z-
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.creatorMIGUEL, Heraldo Costa.-
dc.publisherUniversidade Federal de Campina Grandept_BR
dc.languageporpt_BR
dc.title.alternativeAnalysis of the electronic process as an effective means to obtain a speedy and accessible justice.pt_BR
dc.identifier.citationMIGUEL, Heraldo Costa. Análise sobre o processo eletrônico como meio eficaz para a obtenção de uma justiça célere e acessível. 2017. 71 p. (Trabalho de Conclusão de Curso - Monografia), Curso de Bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais – Direito, Centro de Ciências Jurídicas e Sociais, Universidade Federal de Campina Grande – Sousa- Paraíba - Brasil, 2017.pt_BR
Appears in Collections:Curso de Bacharelado em Direito

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
HERALDO COSTA MIGUEL.pdfHERALDO COSTA MIGUEL TCC Direito 2017400.1 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.