Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/15890
Title: O brincar como dispositivo na análise com crianças.
Other Titles: Playing as a device in the analysis with children.
???metadata.dc.creator???: MARTINS, Jéssica da Silva.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: LINS, Isabela Lemos Arteiro Ribeiro.
???metadata.dc.contributor.referee1???: NÓBREGA, Karynna Magalhães Barros da.
Issue Date: 24-May-2016
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: MARTINS, Jéssica da Silva. O brincar como dispositivo na análise com crianças. 29f. (Trabalho de Conclusão de Curso - Monografia), Curso de Bacharelado em Psicologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de Campina Grande, Campus Campina Grande - Paraíba - Brasil, 2016.
???metadata.dc.description.resumo???: O brincar, fenômeno que vem sendo estudado por diversas áreas como Psicologia, Pedagogia e Sociologia, ganha destaque na Psicanálise uma vez que enfatiza a manifestação dos conteúdos inconscientes infantis através da utilização de brinquedos, jogos e desenhos. Sabendo que o sujeito busca a análise para lidar com algum mal-estar, temos a criança, que geralmente é levada aos consultórios “psi” através de uma queixa trazida pelo casal parental, instituição ou profissionais de saúde, a fim de solucionar problemas comportamentais ou de aprendizagem. Entretanto, o desejo de iniciar uma análise é inicialmente do Outro e não da criança. Dessa forma, veremos o brincar na cena analítica e o efeito terapêutico que este possui, através da transferência com a criança, que inicialmente é estabelecida com os pais, que são fundamentais na cooperação com o analista para a evolução do tratamento. Nossa metodologia de trabalho foi partir de um caso clínico acompanhado no Serviço Escola de Psicologia da Universidade Federal de Campina Grande atrelando aos conceitos: a transicionalidade e o brincar, a partir de Winnicott, bem como a transferência, conceito fundamental na relação paciente-analista, pais-analista.
Abstract: The play, a phenomenon that has been studied in various areas such as Psychology, Pedagogy and Sociology, is highlighted in psychoanalysis since emphasizes the manifestation of child unconscious contents by the use of toys, games and drawings. Knowing that the subject tries to analyze to deal with some discomfort, have a child, which is usually taken to offices "psi" by a complaint brought by the parental couple, institution or health professionals in order to solve behavioral problems or of learning. However, the desire to start an analysis is initially the Other and not the child. Thus, we see the play in the analytical scene and the therapeutic effect this has, by transferring to the child, which is initially established with the parents, who are fundamental in cooperation with the analyst for the progress of treatment. Our work methodology was from a clinical case in the School of Psychology Service at the Federal University of Campina Grande tying the concepts: transitionality and play, from Winnicott, and the transfer, a key concept in the patient-analyst and parents analyst relationship.
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/15890
Appears in Collections:Curso de Bacharelado em Psicologia CCBS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JÉSSICA DA SILVA MARTINS - TCC PSICOLOGIA 2016.pdfJéssica da Silva Martins -TCC Psicologia CCBS - 2016.917.12 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.