Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/1882
Title: Processos sociais, estratégias produtivas e mudança ambiental em assentamentos da reforma agrária na região norte do Tocantins.
Other Titles: Social processes, productive strategies and environmental change in agrarian reform settlements in the northern region of Tocantins.
???metadata.dc.creator???: SILVA, Felipe Otávio Campelo e.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: GOMES, Ramonildes Alves.
???metadata.dc.contributor.referee1???: CUNHA, Luis Henrique Hermínio.
???metadata.dc.contributor.referee2???: WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel.
Keywords: Processos Sociais;Mudança Ambiental;Assentamentos Rurais;Reforma Agrária;Tocantins - Reforma Agrária;Movimento dos Trabalhadores sem Terra - MST;Estratégias Produtivas;Land Reform - Brazil;Productive Strategies;Environmental Change
Issue Date: 2008
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: SILVA, Felipe Otávio Campelo e. Processos sociais, estratégias produtivas e mudança ambiental em assentamentos da reforma agrária na região norte do Tocantins. 2008. 214f. (Dissertação de Mestrado em Ciências Sociais) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Centro de Humanidades, Universidade Federal de Campina Grande - Paraíba - Brasil, 2008.
???metadata.dc.description.resumo???: O modelo agrícola implementado na região norte do Tocantins nos últimos 50 anos, a partir do projeto de expansão da fronteira agrícola na região amazônica, tem intensificado tanto o acirramento nos conflitos pela posse da terra, como causado impactos ambientais significativos. A lógica econômica homogeneizadora baseada na instalação de extensos latifúndios para a prática da pecuária extensiva do gado, nas décadas de 60 e 70, deixaram heranças ambientais, sociais, políticas, econômicas e culturais, significativas para centenas de assentamentos que se formaram na região a partir do final da década de 80. Este trabalho procura focalizar, as relações entre os processos sociais ocorridos na região norte do Tocantins nesse período, e, as influências que esses exerceram sobre as escolhas das estratégias produtivas das famílias assentadas no Projeto de Assentamento Io de Janeiro, bem como as consequências ambientais decorrentes. Identificamos que as escolhas das estratégias produtivas adotadas pelas famílias em suas trajetórias de vida no tempo anterior ao assentamento, estão atreladas em grande parte, às relações de poder estabelecidas em torno da posse da terra, marcada pelo avanço da força oligárquica rural na região. Já no tempo de assentamento, fatores econômicos, políticos e ambientais, exercerão influências determinantes nas escolhas das estratégias produtivas, através de constrangimentos que exigirão constantes modificações por parte das famílias assentadas. O processo de pecuarização da região se mantém também, na estratégia produtiva da maioria das famílias assentadas, intensificando o processo de degradação ambiental da área, tendo como elemento fomentador, à atuação do mercado, a elevada produtividade do trabalho, as heranças ambientais e de infra-estruturas, bem como, a atuação do estado com suas práticas autoritárias e atreladas às elites rurais locais. O processo de intensificação da degradação das pastagens tem levado muitas famílias a elevarem o efetivo pecuário nos lotes, para compensarem as baixas produtividades, estabelecendo um ciclo de degradação ambiental e empobrecimento econômico, que tem colocado a temática ambiental no âmbito do debate sobre a reforma agrária na região. A manutenção da lógica produtiva de diversificação de culturas agrícolas destinadas principalmente à subsistência alimentar e venda de excedentes para o mercado local, aliado a criação de pequenos animais, ainda se faz presente em grande parte das famílias assentadas, o que em determinada maneira tem contribuído na garantia do atendimento das necessidades básicas das famílias, porém as áreas de pastagens se destacam na ocupação territorial dos lotes, e tem atuado como um elemento concorrente da estratégia camponesa de manutenção do ciclo energético na propriedade. As estratégias produtivas são pensadas então, dentro de uma lógica de manutenção da capacidade reprodutiva das famílias, onde o gado se torna um elemento de "resistência" camponesa, uma alternativa de permanência sobre o lote dentro de um ambiente altamente adverso para outras estratégias, mesmo que contraditório e insustentável em médio prazo. Nesse sentido, urge a atuação em rede de setores da sociedade civil e estado, no sentido de criar alternativas sustentáveis produtivas, ações de recuperação ambiental dos assentamentos, estimulando as práticas agroecológicas e o acesso ao mercado desses produtos
Keywords: Processos Sociais
Mudança Ambiental
Assentamentos Rurais
Reforma Agrária
Tocantins - Reforma Agrária
Movimento dos Trabalhadores sem Terra - MST
Estratégias Produtivas
Land Reform - Brazil
Productive Strategies
Environmental Change
???metadata.dc.subject.cnpq???: Ciências Sociais.
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/1882
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Sociais.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FELIPE OTÁVIO CAMPELO E SILVA - DISSERTAÇÃO PPGCS 2008..pdfFelipe Otávio Campelo e Silva - Dissertação PPGCS 2008.39.46 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.