Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2077
Title: Aplicação de um modelo de vegetação potencial para a Região Nordeste do Brasil.
Other Titles: Application of a potential vegetation model for the Northeast Region of Brazil.
???metadata.dc.creator???: NASCIMENTO, Robson de Sousa.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: BRITO, José Ivaldo Barbosa de.
???metadata.dc.contributor.referee1???: BRAGA, Célia Campos.
???metadata.dc.contributor.referee2???: LEITÃO, Mário de Miranda Vilas Boas Ramos.
Keywords: Vegetação potencial;Modelo de vegetação potencial;Nordeste Brasileiro - vegetação potencial;Relação clima vegetação;Climatologia do Nordeste;Vegetação do Nordeste;Evapotranspiração;Desmatamento nos modelos climáticos;Modelo Rey;Potential vegetation;Relation vegetation climate;Bioma caatinga - vegetação potencial;bioma Mata Atlântica - vegetação potencial
Issue Date: 29-Apr-2005
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: NASCIMENTO, Robson de Sousa. Aplicação de um modelo de vegetação potencial para a Região Nordeste do Brasil. 2005. 74f. (Dissertação de Mestrado em Meteorologia), Programa de Pós-graduação em Meteorologia, Centro de Ciências e Tecnologia, Universidade Federal de Campina Grande – Paraíba – Brasil, 2004.
???metadata.dc.description.resumo???: O presente trabalho aplica o modelo de Rey (1999) para calcular a vegetação potencial da região Nordeste do Brasil e, assim, saber se o modelo identifica os principais tipos de vegetação dessa região. O método utilizado para calcular a taxa de Evapotanspiração (ET) é baseado na equação de Penman-Monteith, o qual sugere que a vegetação (dossel) seja representada por uma enorme folha, o que implica em assumir que todas as folhas estão expostas às mesmas condições ambientais, embora não seja essa a condição real. O modelo também inclui parâmetros fixados, e as variáveis altura da vegetação e índice de área foliar (IAF). O valor inicial fixado para o IAF de 0,2, é usado para calcular a altura da vegetação, resistência aerodinâmica, resistência do dossel da vegetação e a taxa de ET. O IAF é aumentado sucessivamente de 0,1 e o processo é repetido para obter-se os valores de ET. Quando a ET anual exceder a reserva de água medida anualmente (precipitação anual menos o escoamento) o ciclo é interrompido, levando à ET definitiva, ao IAF e a altura da vegetação correspondente a esse valor de ET. Foram encontrados valores para a altura da vegetação potencial e IAF com restrições de capacidade de campo de 40, 100 e 300 mm, e, também, sem nenhuma restrição. De um modo geral, o modelo conseguiu reproduzir bem os biomas da região Nordeste do Brasil, principalmente a Caatinga e a Mata Atlântica.
Keywords: Vegetação potencial
Modelo de vegetação potencial
Nordeste Brasileiro - vegetação potencial
Relação clima vegetação
Climatologia do Nordeste
Vegetação do Nordeste
Evapotranspiração
Desmatamento nos modelos climáticos
Modelo Rey
Potential vegetation
Relation vegetation climate
Bioma caatinga - vegetação potencial
bioma Mata Atlântica - vegetação potencial
???metadata.dc.subject.cnpq???: Meteorologia.
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2077
Appears in Collections:Mestrado em Meteorologia.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ROBSON DE SOUZA NASCIMENTO - DISSERTAÇÃO PPGMet 2005..pdfRobson de Sousa Nascimento - Disertação PPGMet 2005.10.56 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.