Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2128
Title: Ecologia política da soja e processos de territorialização no sul do Maranhão.
Other Titles: Political ecology of soybean and processes of territorialization in the south of Maranhão.
???metadata.dc.creator???: MIRANDA, Roberto de Sousa.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: CUNHA, Luis Henrique Hermínio.
???metadata.dc.contributor.referee1???: GOMES, Ramonildes Alves.
???metadata.dc.contributor.referee2???: SILVA, Aldenor Gomes da.
???metadata.dc.contributor.referee3???: COELHO, Maria Célia Nunes.
???metadata.dc.contributor.referee4???: FERNANDES, Marcionila.
Keywords: Agronegócio da Soja;Ecologia Política Figuracional;Territorialização;Sul do Maranhão;Estado do Maranhão - Soja;Produção de Soja;Soja - Estado do Maranhão;Figuração Social;Ocupação da Terra na Amazônia;Ocupação da Amazônia;Processos de Territorialização;Conflitos Socioambientais;Sojicultura;Ocupação do Sul do Maranhão;Projeto Territorial Pecuarista;Projeto Territorial Sojista;Projeto Territorial Agropecuário Familiar;Socio-Environmental Conflicts;Territorialisation Processes;Agribusiness of Soybeans - Brazil;Land Occupation in Amazon;Territorialization
Issue Date: 16-Jun-2011
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: MIRANDA, Roberto de Sousa. Ecologia política da soja e processos de territorialização no sul do Maranhão. 2011. 203f. (Tese de Doutorado em Ciências Sociais) - Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, Centro de Humanidades, Universidade Federal de Campina Grande - Paraíba - Brasil, 2011.
???metadata.dc.description.resumo???: A expansão da soja no Sul do Maranhão tem sido um processo marcado por contradições, mobilizações e conflitos, apreendidos pela análise das disputas entre diferentes estratégias políticas orientadas por atividades agrícolas que articulam atores e ambientes, a que chamamos de projetos territoriais. Projetos territoriais expressam intencionalidades, mais ou menos explicitadas pelos atores sociais, referentes às formas desejadas de apropriação do espaço e à definição das formas de acesso e usos dos recursos naturais a serem priorizados. Estes projetos informam padrões de distribuição do poder entre diferentes grupos sociais que mobilizam instituições para implementar modelos agropecuários, e que se esforçam para legitimar suas intencionalidades, ancoradas em objetivos sociais mais gerais, conseguindo assim a adesão ou a simpatia de um espectro mais amplo da sociedade, extrapolando inclusive as fronteiras regionais. O que se denomina de projeto territorial sojícola será confrontado a outros dois projetos territoriais que, entre 1977 e 2010, apresentaram graus variados de mobilização institucional: o projeto pecuário e o projeto agropecuário familiar. A avaliação dos diferentes graus de institucionalização e de legitimação dos projetos territoriais foi orientada pelo uso das escalas de fatores socioambientais: a local, a regional, a nacional e a global. A ecologia política complementa a noção de projetos territoriais porque possibilita a análise dos conflitos e dos processos de mudança ambiental relativos às reconversões produtivas vivenciadas no mundo rural, rejeitando a idéia de que a natureza é um ambiente neutro. O estudo dos conflitos socioambientais partiu da análise intensiva de casos históricos nos Gerais de Balsas, a fim de elucidar como os atores sociais em disputa estavam ligados entre si por modos específicos de dependência recíproca, pautados num equilíbrio móvel de tensões, que resultaram em processos de territorialização, compreendidos enquanto transformações nas formas de apropriação do espaço e seus recursos naturais, que são constantemente estruturadas, desestruturadas e reestruturadas pelas práticas dos grupos sociais e as relações de interdependência estabelecidas, que os ligam uns aos outros pelas redes de interesses referentes à figuração social. Propõe-se, assim, uma ecologia política figuracional, que parte da idéia de que mudanças ambientais e processos de territorialização são equivalentes, porque refletem transformações nas relações entre sociedade e natureza. A diferença é que o foco nas mudanças ambientais prioriza transformações ambientais provocadas pelas práticas dos atores sociais e os processos de territorialização, o entrelaçamento das práticas dos atores sociais e seus efeitos sobre o espaço.
Abstract: Soybean expansion in the Southern Maranhao has been a process marked by contradictions, demonstrations and conflicts, apprehended by the analysis of disputes among different political strategies conducted by agricultural activities that articulate social actors and environments, which are called territorial projects. Territorial projects express intentionalities, more or less explained by social actors, referring to the desired forms of appropriation of space and to the definition of forms of access and uses of natural resources to be prioritized. These projects inform standards of distribution of power among different social groups that mobilize institutions to implement livestock models, and make effort to legitimize their intentionalities, anchored in broader social goals, thereby achieving the adhesion or sympathy from a wider spectrum of society, extrapolating even the regional boundaries. What is called territorial soybean project will be confronted with two other territorial projects that, between 1977 and 2010, showed varying degrees of institutional mobilization: the livestock project and the agricultural family project. The evaluation of different degrees of institutionalization and legitimation of territorial projects was guided by use of the scales of socio-environmental factors: the local, the regional, the national and the global. Political ecology complements the notion of territorial projects because it enables the analysis of conflicts and processes of environmental change related to the productive reconversion experienced in rural areas, rejecting the idea that nature is a neutral environment. The study of socio-environmental conflicts stemmed from the intensive analysis of historical cases at Gerais of Balsas in order to elucidate how social actors in dispute were bound together by specific modes of mutual dependence, interlined by a moving equilibrium of tensions, which resulted in territorialization processes, understood as transformations in the forms of appropriation of space and their natural resources, which are constantly structured, unstructured and restructured by the practices of social groups and the established interdependent relationships, that bind them to each other by networks of interests relating to social figuration. It is proposed therefore a figurational political ecology that assume the idea that environmental changes and territorialization processes are equivalent, because they reflect transformations in the relations between society and nature. The difference is that the focus on environmental changes prioritizes environmental transformations caused by the practices of social actors and the territorialization processes, the interweaving of practices of social actors and their effects on space.
Keywords: Agronegócio da Soja
Ecologia Política Figuracional
Territorialização
Sul do Maranhão
Estado do Maranhão - Soja
Produção de Soja
Soja - Estado do Maranhão
Figuração Social
Ocupação da Terra na Amazônia
Ocupação da Amazônia
Processos de Territorialização
Conflitos Socioambientais
Sojicultura
Ocupação do Sul do Maranhão
Projeto Territorial Pecuarista
Projeto Territorial Sojista
Projeto Territorial Agropecuário Familiar
Socio-Environmental Conflicts
Territorialisation Processes
Agribusiness of Soybeans - Brazil
Land Occupation in Amazon
Territorialization
???metadata.dc.subject.cnpq???: Ciências Sociais.
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2128
Appears in Collections:Doutorado em Ciências Sociais.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ROBERTO DE SOUSA MIRANDA - TESE PPGCS 2011..pdfRoberto de Sousa Miranda - Tese PPGCS 2011.3.51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.