Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2233
Title: A construção identitária da juventude nos movimentos sociais da via campesina Brasil.
Other Titles: The identity construction of youth in the social movements of the peasant road Brazil.
???metadata.dc.creator???: MANSAN, Paulo Rogério Adamatti.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: MENEZES, Marilda Aparecida de.
???metadata.dc.contributor.referee1???: MALAGODI, Edgard Afonso.
???metadata.dc.contributor.referee2???: GOMES, Ramonildes Alves.
???metadata.dc.contributor.referee3???: IENO NETO, Genaro.
Keywords: Juventude camponesa;Juventude rural;Movimentos sociais do campo;Via Campesina Brasil;Identidades;Congresso Nacional da Pastoral da Juventude Rural;História oral;Etnografia;Movimento Camponês;Redes sociais e movimentos sociais;Campesinato;Movimentos sociais e identidades;Social movements of the countryside;Peasant youth;Social networks and social movements
Issue Date: 2008
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: MANSAN, Paulo Rogério Adamatti. A construção identitária da juventude nos movimentos sociais da via campesina Brasil. 2008. 175f. (Dissertação de Mestrado em Ciências Sociais) - Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, Centro de Humanidades, Universidade Federal de Campina Grande - Paraíba - Brasil, 2008.
???metadata.dc.description.resumo???: A Via Campesina é uma articulação internacional de Movimentos e organizações camponesas presente em sessenta e cinco países. No Brasil, ela iniciou-se no ano de 2001 e tem sete organizações presentes desde a sua fundação: MST, MPA, MMC, MAB, PJR, CPT e FEAB. É uma organização que luta pela melhoria da qualidade de vida das famílias camponesas sob sua coordenação, e que internacionalmente tenta se contrapor ao avanço do modelo neoliberal na agricultura. O centro do meu estudo é a emergência da juventude dentro dos movimentos sociais da Via campesina no Brasil. Baseamo-nos nos estudiosos sobre campesinato e juventude rural e na teoria de E.P. Thompson (1989) sobre identidades. Desenvolvemos a dissertação em quatro capítulos. No primeiro, temos uma contextualização dos movimentos sociais, a importância da articulação em redes dos movimentos camponeses e o surgimento de linhas de atuação da Via Campesina, como os jovens, mulheres, quilombolas, indíçienas No segundo capítulo, analisamos o processo de construção e a emergência da juventude dentro da Via Campesina. No terceiro, analisamos os seminários e a plenária da Via Campesina e o II congresso Nacional da Pastoral da Juventude Rural como espaços da construção da identidade da juventude da Via Campesina. E, por fim, no quarto capítulo, analisamos a trajetória de lideranças jovens nos movimentos sociais, para compreendermos os contextos de iniciação das lideranças nos movimentos e suas formas de participação. Como metodologia básica, utilizamos a história oral e a etnografia. Como conclusões gerais, entendemos que a juventude da Via constrói-se como sujeito político no fazer-se da luta dos movimentos sociais, tanto através das ações quanto dos discursos. O engajamento dos jovens nos movimentos da via demonstra o seu compromisso com a transformação da sociedade e a articulação e organização do campesinato e da classe trabalhadora.
Abstract: The Via Campesina is an international network of Movements and peasant organisations represented in 65 countries. In Brazil, it was founded in 2001 with the partieipation of seven organisations: IV1ST, MMC, MAB, PJR, CPT and FEAB. It is an organisation that struggles to improve the quality of life of peasant families under its coordination, and - at an international levei opposes the progress of the neoliberal model of agriculture. The focus of this study is the emergence of the young people as activists within the social movements members of Via Campesina in Brazil, based on studies around peasants and rural youth and the identity theorie of E.P. Thompson. This dissertation is structured into four chapters. The first examines the politicohistorical context of social movements in Brazii, the importance of interaction between peasant movement networks, and the appearance of specific groups of activists within the Via Campesina: young people, women, afro-deseendents (quilombolas) and indigenous people. In the second chapter, the process of emergence and consolidation of young activists within the Via Campesina is analysed. In the third, the Via Campesina's seminars and plenary sessions and the II PJR (Rural youth pastoral) National Congress are examined, as specific spaces of youth identity construction within the organisation. And finally, in the last chapter, the life-stories Df young social leaders is analysed, with the objective of understanding the background to their initiation and forms of partieipation in the movements. Oral history and ethnography are used as baseline methodology. This study concludes that young activists of the Via Campesina are Consolidated as politicai subjeets through the struggle itself, as much in action as in discourse. The determination of the youth of Via Campesina's movements shows their commitment to the transformation of society and the organisation and strengthening of peasants and the working class.
Keywords: Juventude camponesa
Juventude rural
Movimentos sociais do campo
Via Campesina Brasil
Identidades
Congresso Nacional da Pastoral da Juventude Rural
História oral
Etnografia
Movimento Camponês
Redes sociais e movimentos sociais
Campesinato
Movimentos sociais e identidades
Social movements of the countryside
Peasant youth
Social networks and social movements
???metadata.dc.subject.cnpq???: Ciências Sociais.
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2233
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Sociais.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PAULO ROGÉRIO ADAMATTI MANSAN - DISSERTAÇÃO PPGCS 2008..pdfPaulo Rogério Adamatti Mansan - Dissertação PPGCS 2008.22.7 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.