Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2663
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creator.IDROCHA, Y. R. C.pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2769502613379486pt_BR
dc.contributor.advisor1NASCIMENTO, Elimar Pinheiro do.-
dc.contributor.advisor1IDNASCIMENTO, E. P.pt_BR
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5290901839648752pt_BR
dc.description.resumoEsta dissertação trata do estudo especifico das representações do fenômeno da seca na Sociedade Civil sertaneja. Para estudar esta questão escolhemos o caso da Sociedade Civil de Patos, cidade importante dos sertões paraibanos. 0 tema interessou-nos pelo seu caráter inovador. De fato, os estudos de caráter sociológico sobre a seca tem enfatizado , até a exaustão a ótica do Estado. Nossa preocupação centraliza-se em deslocar o eixo da análise para a compreensão desse fenômeno neste outro espaço social composto de organismos "privados" e voluntários" que joga um papel fundamental na reprodução da superestrutura politica e ideológica como um todo. Nosso estudo privilegiou a parte institucionalizada da Sociedade Civil escolhida como caso. Se há.perda em extensão,julgamos que ela é compensada por uma maior profundidade, na medida em que pudemos nos deter com mais cuidado em cada uma das que enfocamos. No decorrer da pesquisa de campo, durante a qual realizamos 135 entrevistas, fizemos um levantamento de todas as instituições que encontramos, tanto religiosas, como corporativas, sociais, esportivas, partidárias, culturais, etc, enfim,todos os espaços organizados a nível de Sociedade Civil, num total 52 associações inquiridas. Para efeito de análise essas instituições foram classificadas em 10 tipos: corporativas, culturais, de caráter reivindicativo, comunicação, educativas/escolares, partidárias, religiosas,sócia is, esportivas/sociais, beneficentes. Num segundo momento, foram reclassificadas em instituições ligadas ã classe dominante ou dominada. A pesquisa de campo foi realizada entre novembro e dezembro de 1982, no auge da seca que assolou o Nordeste por 5 anos. A Sociedade Civil analisada, demonstra possuir grande compreensão do que é a seca no momento atual, capacidade de denúncia de alguns setores representativos, algum poder de barganha com relação ao poder local, e, principalmente, o germe de um movimento consciente que, a nível local, pode se ampliar e favorecer a outros mais atuantes, envolventes e, por conseguinte,mais consequentes. Por outro lado, como já esperávamos, o poder do Estado está presente e perpassa toda a Sociedade Civil de Patos, influindo diretamente nas decisões de demandas deste espaço social. Não existe, porém, apenas uma representação da seca. A representação extranatural é muito pequena, restringindo-se a apenas 1,5% das entrevistas. A maior parte,portanto, concebe-a como um fenômeno natural (91,0%), e uma pequena,mas significante, minoria a vê como social (7,4%), donde passível de transformação desde que se adote politicas realmente eficientes no combate à seca. Essas politicas tem sido prometidas pelo Estado que no entanto não as tem realizado ao longo dos anos. Ha quase um aspecto de consenso na afirmação da má atuação dos órgãos governamentais na política de combate ã seca. Logicamente há algumas nuances diferenciadoras na 5«ali ação desses órgãos. A maioria dos entrevistados responsabiliza diretamente o governo federal (poder central) pela repercussão de politicas errôneas na luta contra esse fenômeno que assola o Nordeste. A prefeitura , no entender dos entrevistados, é dentre os órgãos governamentais a que possui melhor atuação no tocante ao assunto enfocado. Os dados da pesquisa apontam para o fato de que, os diversos setores da Sociedade Civil Patoense conseguem manter certo dinamismo, pelo menos no que se refere a expressão de sua insatisfação perante as decisões governamentais. Isso nos faz crer que existe um interlocutor para a Sociedade Politica a nível do município estudado e uma crescente conscientização nas camadas populares com relação aos problemas que lhes dizem respeito, inclusive compreendendo a relação entre o natural e o social, no caso da seca.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentCentro de Humanidades - CHpt_BR
dc.publisher.programPÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAISpt_BR
dc.publisher.initialsUFCGpt_BR
dc.subject.cnpqSociologia.pt_BR
dc.titleSeca e sociedade civil: o caso de Patos.pt_BR
dc.date.issued1984-12-
dc.identifier.urihttp://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2663-
dc.date.accessioned2019-02-01T16:36:25Z-
dc.date.available2019-02-01-
dc.date.available2019-02-01T16:36:25Z-
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subjectPatos - PB - secapt_BR
dc.subjectPolíticas de combate à secapt_BR
dc.subjectSUDENEpt_BR
dc.subjectSociedade civil - conceitopt_BR
dc.subjectSaques e sociedadept_BR
dc.subjectSaqueamento em períodos de secapt_BR
dc.subjectEstado e secapt_BR
dc.subjectCombate à secapt_BR
dc.subjectSeca no Nordestept_BR
dc.subjectSertão da Paraíbapt_BR
dc.subjectSeca na Paraíbapt_BR
dc.subjectLooting during periods of droughtpt_BR
dc.subjectPolicies to combat droughtpt_BR
dc.subjectDrought and social representationpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.creatorROCHA, Yara Regina Candelária.-
dc.publisherUniversidade Federal de Campina Grandept_BR
dc.languageporpt_BR
dc.title.alternativeDrought and civil society: the case of Patos.pt_BR
dc.description.sponsorshipCNPqpt_BR
dc.identifier.citationROCHA, Yara Regina Candelária da. Seca e sociedade civil: o caso de Patos. 1984. 244f. (Dissertação de Mestrado em Sociologia), Centro de Humanidades, Universidade Federal da Paraíba, Campus II, Campina Grande - PB, 1984.pt_BR
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Sociais.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
YARA REGINA CANDELÁRIA DA ROCHA - DISSERTAÇÃO PPGCS 1984..pdfYara Regina Candelária da Rocha - Dissertação PPGCS 1984.36.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.