Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/3618
Title: Identificação e análise de fatores que afetam a comercialização de algodão arbóreo em caroço na microrregião seridó-RN.
Other Titles: Identification and analysis of factors that affect the commercialization of tree-seed cotton in the Seridó-RN micro-region.
???metadata.dc.creator???: LUCENA, Leandro Severiano de.
???metadata.dc.contributor.advisor1???: BUVINICH, Manuel Juan Rojas.
???metadata.dc.contributor.referee1???: GRONDIN, Marcelo.
???metadata.dc.contributor.referee2???: BORTOLUZI, Clodoaldo Roque Dallajustina.
???metadata.dc.contributor.referee3???: NOVAES, José Roberto Pereira.
Keywords: Economia Rural;Rural Economy;Cultura do Algodão;Cosecha de Algodón;Cotton Crop;Comercialização do Algodão;Cotton Marketing;Comercialización de Algodón;Seridó - RN
Issue Date: Aug-1980
Publisher: Universidade Federal de Campina Grande
Citation: LUCENA, Leandro Severiano de. Identificação e análise de fatores que afetam a comercialização de algodão arbóreo em caroço na microrregião seridó-RN. 1980. 142f. (Dissertação de Mestrado em Economia Rural e Regional), Programa de Pós-graduação em Economia Rural e Regional, Centro de Humanidades, Universidade Federal da Paraíba – Campus II - Campina Grande - Paraíba - Brasil, 1980.
???metadata.dc.description.resumo???: A análise, dos resultados observados na pesquisa, permitiu o alcance dos objetivos propostos e verificação da hipótese de que a ação do Intermediário, auxiliada por mecanismos de comercialização e desorganização dos agricultores, acarreta descapitalização dos produtores. Apresenta-se a seguir, em termos gerais, as principais conclusões verificadas no presente estudo, a cerca do processo de comercialização do algodão arbóreo em caroço. A falta de acesso aos serviços governamentais relacionados a comercialização e a própria produção, que atinge dlretamente e em maior escala ao pequeno produtor, não permite a que os mesmos possam reter a produção e especular melhores preços. Vesta maneira, o produto é entregue ao Intermediário logo após a colheita, ou ainda, â medida que se processa tal atividade. Para Isto, em geral, ha um compromisso anterior do produtor com este agente da comercialização que e normalmente proprietário de terra. A ação do Intermediário, na verdade, se Inicia bem antes da colheita, financiando as despesas da produção e fornecendo gêneros ao produtor. No caso da produção em parceria, o compromisso citado, alem dos aspectos acima, tem Inicio no ato da cessão da terra para o cultivo, dado que este acordo, na maioria dos casos, condiciona a comercialização do produto. Esse procedimento do Intermediário Inibe qualquer outra opção dos pequenos produtores quanto aos canais de comercialização do algodão. O processo de comercialização vigente, Inadequado para o pequeno e parte dos médios produtores, beneficia ao Intermediá-lo de uma maneira geral. Estas vantagens se apresentam como reflexos das próprias atividades ou serviços da comercialização, que são oferecidos aos produtores rurais através de diferentes políticas. Inclui-se aqui a Política de Garantia de Preços Mínimos, Informação de Meneado, Armazenamento e Classificação do Produto. O próprio transporte do algodão, cujo casto é diretamente pago pelo usineiro, embora indiretamente seja cobrado ao produtor, constitui uma fonte de lucro para o Intermediário. Os diferentes Instrumentos referidos, facilmente acessíveis aos grandes produtores, e por tanto, ao Intermediário, são por estes utilizados de forma a possibilitar a obtenção de uma margem de comercialização relativamente alta [2 0,61], comparada ao preço médio recebido pelo produtor [CR$ 9,7 8 por kg). Esta margem de comercialização que, naturalmente e subtraída da renda do pequeno produtor, com certeza reflete negativamente na produção, afetando a quantidade e o. qualidade do produto. Com referência ao preço do algodão, o qual apresenta um comportamento crescente ao longo da safra, é Inicialmente determinado pelo usineiro e reduzido pelo Intermediário para então chegar ao 'pequeno produtor. Constitui-se assim, combinado com a época de comercialização do produto, um outro mecanismo que é manipulado pelo Intermediário para obtenção de maiores lucros. Os diferentes mecanismos utilizados pelo Intermediário e que espelham a sua atuação junto aos produtores, estão correlacionados aos diversos estratos de produção, sendo exatamente junto à classe dos pequenos produtores onde se verifica a maior atuação daquele agente. Agrega-se a esta situação o grau associativista do produtor, dado que o Índice de sua organização, se manifesta segundo os estratos de produção. principalmente o pequeno e parte dos médios produtores são os mais desorganizados, e desta maneira, favorecem grandemente a atuação do Intermediário. Ressalta-se no entanto, com referência ao aspecto associativo, que os pequenos produtores se encontram desorganizados porque não são suficientemente orientados, e desta maneira, desde que persuadidos, estariam dispostos à constituição de grupos ou filiação a cooperativas corretamente estruturadas.
Abstract: The analysis of the results observed in the research allowed the achievement of the proposed objectives and verification of the hypothesis that the intervention of the Intermediate, aided by marketing mechanisms and disorganization of the farmers, leads to a decapitalization of the producers. The main conclusions of the present study are as follows, regarding the process of commercialization of seed cotton. The lack of access to government services related to commercialization and production itself, which directly affects the small producer on a larger scale, does not allow them to retain production and speculate for better prices. In this way, the product is delivered to the Intermediate soon after harvest, or as the process is carried out. For this, in general, there is an earlier commitment of the producer to this marketing agent who is usually landowner. Intermediate action actually begins well before harvesting, financing production expenses, and supplying genres to the producer. In the case of production in partnership, the aforementioned commitment, in addition to the above aspects, begins in the act of transferring land for cultivation, since this agreement, in most cases, conditions the commercialization of the product. This Intermediate procedure inhibits any other small producers' choice of marketing channels for cotton. The current marketing process, Inadequate for the small and part of the average producers, benefits to Intermediate it in a general way. These advantages are presented as reflections of the marketing activities or services that are offered to the farmers through different policies. It includes the Policy of Guarantee of Minimum Prices, Information of Meneado, Storage and Classification of the Product. The transport of cotton itself, whose chaste is directly paid by the mill, although indirectly is charged to the producer, constitutes a source of profit for the Intermediate. The various instruments referred to, which are easily accessible to large producers and therefore to the intermediary, are used by them to enable a relatively high marketing margin [2 0.61], compared to the average price received by the producer [ CR 9.78 per kg). This margin of commercialization, which, naturally and subtracted from the income of the small producer, certainly reflects negatively in the production, affecting the quantity and the. product quality. With reference to the price of cotton, which shows an increasing behavior during the harvest, it is initially determined by the mill and reduced by the Intermediate to reach the small producer. Thus, combined with the time of product commercialization, another mechanism is manipulated by the Intermediary to obtain greater profits. The different mechanisms used by the Intermediary, which mirror their performance with the producers, are correlated to the different strata of production, being exactly next to the class of the small producers where it is verified the greater performance of that agent. The associative degree of the producer is added to this situation, since the index of its organization is manifested according to the strata of production. mainly the small and part of the middle producers are the most disorganized, and in this way, greatly favor the performance of the Intermediary. However, with reference to the associative aspect, small producers are disorganized because they are not sufficiently oriented, and thus, if persuaded, they would be willing to form groups or affiliation to properly structured cooperatives.
Keywords: Economia Rural
Rural Economy
Cultura do Algodão
Cosecha de Algodón
Cotton Crop
Comercialização do Algodão
Cotton Marketing
Comercialización de Algodón
Seridó - RN
???metadata.dc.subject.cnpq???: Economia
URI: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/3618
Appears in Collections:Mestrado em Economia Rural e Regional.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LEANDRO SEVERIANO DE LUCENA - DISSERTAÇÃO PPGERR 1980.pdfLeandro Severiano de Lucena Dissertação - PPGERR 198023.79 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.