Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/521
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1ARAÚJO, Eronides Câmara de.-
dc.contributor.advisor1IDAraújo, E.C.pt_BR
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9669893840583648pt_BR
dc.contributor.referee1OLIVEIRA, Iranilson Buriti de.-
dc.contributor.referee2ARAGÃO, Patrícia Cristina de.-
dc.contributor.referee3NASCIMENTO, Regina Coelli Gomes.-
dc.contributor.referee4VIEIRA, Kyara Maria de Almeida.-
dc.description.resumoNa cidade da Parahyba, no ano de 1769, uma mulher foi condenada à prisão, acusada de ser a mentora de uma trama contra a vida do capitão-mor da Parahyba, Jerônimo José de Melo e Castro. Quitéria Bandeira de Melo tornou-se a figura principal das acusações. Neste trabalho, procuramos discutir as estratégias de poder vivenciadas na Capitania Real da Parahyba, a partir dos conflitos existentes entre Quitéria e o capitão-mor Melo e Castro. Partindo de uma análise historiográfica acerca da Parahyba no governo de Jerônimo José de Melo e Castro, procuramos identificar as disputas que existiam entre ele e a família Bandeira de Melo. Por meio de documentos manuscritos do fim do século XVIII, investigamos as denúncias e encontramos outros personagens relacionados à trama de assassinato ao capitão-mor Melo e Castro: são citados o padre Antônio Bandeira de Melo, irmão de Quitéria, bem como o vigário da cidade, Antônio Soares Barbosa, e o escravo da família Bandeira de Melo, Constantino. Todos eles foram acusados de planejar um intento contra a vida de Melo e Castro. Na construção desta pesquisa, analisamos um conjunto de documentos manuscritos avulsos da Capitania Real da Parahyba e da Capitania de Pernambuco. Para problematizar esta documentação, nos aproximamos do aporte teórico da Nova História Cultural, nos apropriando do conceito de representação social de Roger Chartier. Além disso, dialogamos com as pesquisas do campo da história das mulheres no período colonial.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentCentro de Humanidades - CHpt_BR
dc.publisher.programPÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIApt_BR
dc.publisher.initialsUFCGpt_BR
dc.subject.cnpqHistóriapt_BR
dc.subject.cnpqCiências Humanaspt_BR
dc.titleEstratégias de poder e de liberdade nos conflitos da Parahyba: o governador, uma mulher, um escravo e dois padres (1769-1784).pt_BR
dc.date.issued2015-10-07-
dc.description.abstractIn the city of Parahyba, in 1769, a woman was sentenced to prison charged with being the mentor of an intrigue against the Captain-General of Parahyba, Jerônimo José de Melo e Castro. Quitéria Bandeira de Melo became the key figure of the charges. In this paper, we discuss the power strategies experienced in Real Captaincy of Parahyba, starting from the conflicts between Quitéria and Captain-General Melo e Castro. Based on a historiographical analysis about Parahyba during the administration of Jerônimo José de Melo e Castro, we tried to identify the disputes between him and Bandeira de Melo‟s family. From handwritten documents dated by late eighteenth century, we investigate the complaints and found characters linked to the intrigue against Captain-General Melo e Castro: the priest Antônio Bandeira de Melo, Quitéria‟s brother, the priest of the city, Antônio Soares Barbosa, and the slave of Bandeira de Melo‟s family, Constantino were cited. All of them were charged of planning an intrigue against the life of Melo e Castro. Building this research, we analyze a set of handwritten documents from Real Captaincy of Parahyba and from Captaincy of Pernambuco. In order to set a problem in these documents, we read the theoretical material from New Cultural History and got the definition of social representation by Roger Chartier. Moreover, we linked our material to the field researches on women history at colonial period.pt_BR
dc.identifier.urihttp://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/521-
dc.date.accessioned2018-04-27T19:38:42Z-
dc.date.available2018-04-27-
dc.date.available2018-04-27T19:38:42Z-
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subjectMulherpt_BR
dc.subjectJustiça Colonialpt_BR
dc.subjectCapitania Realpt_BR
dc.subjectHistória da Paraíba-
dc.subjectCapitania da Parahyba-
dc.subjectJerônimo José de Melo e Castro - Capitão Mor da Parahyba-
dc.subjectQuitéria Bandeira de Melo - Prisão-
dc.subjectPeríodo Colonial na Paraíba-
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.creatorSANTOS, Yara Michele Querino Barboza Freire dos.-
dc.publisherUniversidade Federal de Campina Grandept_BR
dc.languageporpt_BR
dc.title.alternativePower and freedom strategies in conflicts in parahyba: the governor, a woman, a slave and two priests (1769-1784).pt_BR
dc.identifier.citationSANTOS, Y. M. Q. B. F. dos. Estratégias de poder e de liberdade nos conflitos da Parahyba: o governador, uma mulher, um escravo e dois padres (1769-1784). 121 f. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Centro de Humanidades, Universidade Federal de Campina Grande, Paraíba, Brasil, 2015.pt_BR
Appears in Collections:Mestrado em História.

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
YARA MICHELE QUERINO BARBOZA FREIRE DOS SANTOS – DISSERTAÇÃO (PPGH) 2015.pdf1.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.